João cardozo, dono da oficina Rei do Câmbio Hidramático, tem 30 anos de experiência em reparo do dispositivo.

 

Matéria publicada dia 13/11/2008
Especial Motor - Muito mais que um luxo

Para o câmbio automático funcionar é necessário que a parte elétrica do veículo esteja em perfeito estado. Mas o que fazer se a bateria arriou? A dica básica é nunca tentar recarregar por meio de ligação direta, a tradicional chupeta, e nem mesmo tentar pegar o carro no tranco. “Neste caso, o único modo seguro é fazer a trocar da bateria”, disse João Cardozo, dono da oficina Rei do Câmbio Hidramático, localizada na Avenida Francisco Glicério, em Campinas.

“Se fizer uma chupeta, a bateria pode entrar em curto e queimar o módulo eletrônico do câmbio, que é uma peça muito cara e varia de R$ 2,5 mil a R$ 12 mil, dependendo do carro. Aí o prejuízo é grande. A bateria é de 12 volts e o módulo trabalha com apenas 9 volts”, explicou o especialista, que atua há mais de 30 anos no segmento.

Qualquer problema elétrico no carro também pode afetar o câmbio. “Nos carros há sempre uma luz no painel que acende quando há problema no câmbio. Pode ser um simples defeito na luz de teto, chicote ou qualquer outra coisa”, disse. Quando há este tipo de situação, o câmbio automático costuma travar na quarta marcha. “Neste caso o ideal é tirar do 'D' e colocar seqüencialmente as três primeiras marchas. Isso para poder seguir direto a uma oficina, pois não pode ficar rodando nesta situação”, disse Cardozo. Para solucionar rapidamente o problema, o Rei do Câmbio Hidramático possui equipamentos de última geração, onde são realizados diagnósticos da origem do defeito.

Uma outra situação que é comum acontecer e pode danificar o sistema de câmbio automático é a manutenção inadequada do equipamento. “Muita gente coloca óleo de câmbio mecânico, que é mineral, em carros que possuem o câmbio automático, onde são colocados apenas óleos semi-sintético e sintético”, comentou. O dono do Rei do Câmbio Hidramático avalia que é recomendado fazer uma revisão básica no equipamento a cada seis meses.

Os carros automáticos também possuem um radiador no câmbio. E a falta de água no sistema pode fazer com que o óleo do câmbio esquente muito e chegue até a pegar fogo. Para evitar qualquer tipo de transtorno, é importante que a revisão, assim como as trocas de óleo, sejam sempre realizadas em oficinas especializas. Por último, a dica é sempre se informar sobre o seu sistema de câmbio. Para isso, o mais aconselhado é sempre dar uma boa lida no manual do carro para saber das particularidades no câmbio do seu veículo.

 

2007 Copyright - Site desenvolvido pela Global Brasil Informática